Resenha

Resenha: Azul da cor do mar, Marina Carvalho.

Março 4, 2014

Título: Azul da Cor do Mar
Subtítulo: Em vez de fugir das lembranças, por que não ir atrás delas?
Autora: Marina Carvalho
Editora: Novo Conceito
Ano de lançamento: 2014
N° de páginas:334
Nota final: 
Buscapé ~ Skoob.

Sinopse: Acaso, destino ou loucura? No caso de Rafaela, pode ser tudo isso junto. Para alguém como ela, nada é impossível. Rafaela sonha desde a adolescência com o garoto que viu uma vez, perto do mar, carregando uma mochila xadrez… A ideia fixa não a impediu, porém, de ser uma menina alegre e muito decidida. Ela quer ser jornalista, e seu sonho está se concretizando: Rafaela Vilas Boas (um nome tão imponente para alguém tão desajeitado) conseguiu um estágio no melhor jornal de Minas Gerais. Mas, como estamos falando de Rafa, alguma coisa tinha que dar errado. O jornal é mesmo incrível, mas seu colega de trabalho, Bernardo, não é a pessoa mais simpática do Mundo. Em meio a reportagens arriscadas – e alguns tropeços -, Bernardo acaba percebendo, contra a sua vontade, que Rafaela leva jeito para a coisa… E que eles formam uma dupla de tirar o fôlego. Mas e a mochila? E o garoto, o envelope, as cartas? Um dia a estabanada Rafaela vai ter que se libertar dessa obsessão.

Rafaela é apaixonada por jornalismo e cursa o último ano do curso na PUC Minas, ela é ótima na sua área de atuação e consegue um estágio no Folha de Minas que é o maior jornal de Minas Gerais, no dia da entrevista ela descobre que vai trabalhar com Bernardo e a antipatia entre eles é imediata, embora ele seja o melhor jornalista da área de jornalismo investigativo do jornal ele é arrogante e não quer ter uma estagiária no sua cola e Rafaela não quer perder a oportunidade que esse estágio vai trazer para carreira dela, isso tudo piora quando eles começam de fato a trabalhar juntos. Mas já dizia minha avó, quem muito desdenha é porque quer, e de um jeito estranho ambos acabam se envolvendo, mas muita água ainda vai passar por esse rio até tudo dar certo, afinal, no fundo eles se odeiam.

– Estou desculpado?
– Sim.
– Você não me odeia mais?
– Claro que odeio. Você partiu meu coração.

Comecei a leitura sem expectativa nenhuma, na verdade eu nem sabia do que se tratava o livro, ele só estava em cima de vários outros e resolvi dar uma chance para ele por pura preguiça de procurar outro livro para ler e por isso foi uma leitura agradável. A obra não apresenta grande surpresas na trama, tem alguns pontos bem clichês na verdade, a protagonista é chata, o jeito dela não conseguiu me encantar e criou até certa antipatia em mim.

Durante a história Rafaela vive as margens do seu amor pelo garoto, que é um rapaz que ela viu 10 anos antes e desenvolveu obsessão por ele, eles nunca se falaram, ela não sabe o nome dele, idade, nem nada, só sabe que ele tem um lindo par de olhos azuis, essa obsessão criada por ela acaba a impedindo de se envolver com qualquer cara, ela pode até sair com um ou outro, mas ela não consegue se envolver profundamente com ninguém. Algumas pessoas podem achar isso romântico e tudo mais, mas eu achei estranho, muito estranho, primeiro porque ela só tinha 11 anos quando o viu pela primeira vez, segundo, durante várias vezes ela diz que não o ama, só sente interesse por ele, sendo assim porque ela não consegue se envolver? Isso fica mal explicado.
Um ponto que me incomodou durante toda a leitura é o excesso de propagandas usadas durante a obra, achei desnecessário adicionar tantos nomes de marca, ela podia ter simplesmente um celular e não um Iphone, ela podia usar um removedor de maquiagem e não um ‘removedor magnífico da Revlon’ ou ainda ‘(…) guardei o notebook na pasta estampada com bolas coloridas – um luxo que comprei na Verde Amarela do Pátio Savassi (…)’, nesse último caso, no site do shopping não está cadastrada essa loja, mas mesmo assim é desnecessário incluir esse detalhe.
 
A diagramação conta com uns detalhes bem bonitos, mas algumas fontes escolhidas são feias e tiram a leveza da situação, isso pode e deve ser melhorado na segunda edição, pelo menos torço para que isso aconteça. Encontrei alguns erros de revisão, mas novamente nada que não possa ser concertado na segunda edição.
 
No geral achei uma história leve e divertida, recomendo para um fim de semana e para aqueles que procuram uma leitura tranquila e jovial.
Bom gente por hoje é isso. Alguém já leu? Pretende ler?
Beijos e até breve.

You Might Also Like

No Comments

Leave a Reply

Powered by themekiller.com anime4online.com animextoon.com apk4phone.com tengag.com moviekillers.com